sábado, 22 de abril de 2017

I'm Through With Love (Lyrics) by ERIC CARMEN

domingo, 16 de abril de 2017

She







Que jóias a trouxeram do mar profundo?
As flores nas estrelas
o mel do mundo?
pedaços de cereja teu lábios lindos
a cantar o amor, somente o amor
em meus submundos





Do nosso tempo



 


       (A) Notam-se a probabilidade de problemas emocionais e de déficits de habilidades sociais. 

     (B) Dedica-se ao manejo de aparelhos eletrônicos, desde a mais tenra idade, as crianças de hoje.

   (C) Cercam-se de solidão e isolamento uma vida reclusa ao mundo virtual de atualizações de status. 

  (D) Findaram as discussões profundas, com as quais poderia se enriquecer os anos de universidade. 


 (E) Interpretam-se, com dificuldade, comportamentos alheios frente a frente, em tempo real.





sábado, 15 de abril de 2017

Matsuo Bashô






Resultado de imagem para matsuo basho assirio e alvim




Aquele que segundo Leminski, 
conseguia distinguir uma lágrima
 no olho do peixe







O encanto do Mandacaru pela Nuvem









Aconteceu de novo
daquele mandacaru apaixonar-se pela nuvem
enamorou-se ainda mais no fim do dia
quando ela ganhou tons e forma
de uma rosa

depois

ela foi mudando lentamente
dissolvendo-se 
em coração a desmanchar-se

o tempo mudou bruscamente
e ele resistiu resignado a tempestade


de lâminas






DAVI CARTES ALVES







sábado, 8 de abril de 2017

Dançarina Flamenca





Resultado de imagem para castanholas flamenco




bela dançarina flamenca,
sapateias na voraz ilusão
de possuir-te
 emudecido espectador
enternecido camponês madrilenho
na viril multidão estupefata,
petrificada

Chama cambiante
alma ferina, charme provocante,
ritmo vigoroso, estonteante
olhares fulminantes de desprezo,
num enlear-se apaixonante

partis-te  corações ao meio
e fizestes deles
castanholas escarlates
a produzir
musicalidade vigorosa,
envolvente n’alma

palpitante rosa cálida
dardejando nos sentidos
tuas pétalas de fogo
qual revoada
de pássaros incendiados

tua presença embevece,
na maviosa sonoridade
que enfeitiça e emudece:
cravos imprestáveis,
touros indomáveis,
na arena milenar
nos confins da Andaluzia.


 


Davi Cartes Alves








Vó Nonóca é o quiá





Resultado de imagem para bolinho na chuva




ela percebeu:
tava mais pra baixo que  underline 
e alertou:
- desse jeito
vão te encontrar   jogado na  lixeira 
do  dog do Queko

mas no reveillon reagiu
 foi jogar truco e desmaiar na praia

noutro dia 
dia de ano
 vó Nonóca 
recomendou um chá de barbatana de buganvília
mas  só dá lá em Guaraqueçaba
mas vó isso é flor ou um peixe?

ela encrespou 
perguntando se eu era do FBI 
que fazia tanta pergunta

Vo Nonóca esse bolinho de chuva
tem o sabor da felicidade

e pra desatar os nós
das cordas do coração vó?

soube vó?
com dor nas costas : Sofia vergara
- essa foi fraca 


Vó Nonóca é o quiá
o quiá de bom nessa terra já queimada
ela só para os afazeres 
pra ver a debandada dos pássaros do fim do dia

o céu em caramelo claro
e os pássaros enfileirados
outros como setas 
disparadas no ocaso 
sumindo nas araucárias

vó Nonóca se irrita de novo
- não traz novelo criatura
- traz uma vódka

e o segredo da felicidade vó?
- não sei
- e se soubesse eu não falava , se vira

- mas fala mais baixo 
e come menos


Vó Nonóca é o quiá
de bom






DAVI CARTES ALVES







quinta-feira, 6 de abril de 2017

Rosa Caramela








Acendemos paixões no rastilho do próprio coração
 O que amamos é sempre a chuva, 
entre o voo da nuvem e a prisão do charco
 Afinal, somos caçadores que a si mesmo se azagaiam
 No arremesso certeiro 
vai sempre um pouco de quem dispara.



Mia Couto
No conto "Rosa Caramela"










domingo, 2 de abril de 2017

Incertidão de óbito - Mia Couto











e que o cenário não se limite ao decorativo ...











“ Fazer o gesto
recuperar o seu sentido
a palavra
o seu tom insubstituível
permitir que o silêncio ,
como na boa musica,
seja também ouvido
e que o cenário
não se limite
ao decorativo(...)




                                          Clarice Lispector












Clarice Lispector - Frases - Textos - Pensamentos













“ Minha alma tem o peso da luz. Tem o peso da música. Tem o peso da palavra nunca dita, prestes quem sabe a ser dita. Tem o peso de uma lembrança. Tem o peso de uma saudade. Tem o peso de um olhar. Pesa como pesa uma ausência. E a lágrima que não se chorou. Tem o imaterial peso da solidão no meio de outros. “




“ Teu Segredo


Flores envenenadas na jarra. Roxas azuis, encarnadas, atapetam o ar. Que riqueza de hospital. Nunca vi mais belas e mais perigosas. É assim então o teu segredo. Teu segredo é tão parecido contigo que nada me revela além do que já sei. E sei tão pouco como se o teu enigma fosse eu. Assim como tu és o meu. “



“ Eu queria escrever luxuoso. Usar palavras que rebrilhaassem molhadas e fossem peregrinas. Às vezes solenes em púrpura, às vezes abismais esmeraldas, às vezes leves na mais fina seda macia.”



“ Gosto do modo carinhoso do inacabado, do malfeito, daquilo que desajeitadamente tenta um pequeno vôo e cai sem graça no chão.”



“ Não se preocupe em entender. Viver ultrapassa todo entendimento. Renda-se como eu me rendi. Mergulhe no que você não conhece como eu mergulhei. Eu sou uma pergunta."



“ Liberdade é pouco. O que eu desejo ainda não tem nome." 



“ Eu não sou tão triste assim, é que hoje eu estou cansada”



“ Sinto a falta dele, como se me faltasse um dente na frente:


excrucitante.”



“ (...)nada jamais fora tão acordado como seu corpo sem transpiração e seus olhos-diamantes,
e de vibração parada.
E o Deus? Não.
Nem mesmo a angustia. O peito vazio, sem contração. Não havia grito.”




“ ...faz de conta que ela nao estava chorando por dentro -
pois agora mansamente, embora de olhos secos, o coração estava molhado;
ela saíra agora da voracidade de viver.”


“ Minha força está na solidão. Não tenho medo nem de chuvas tempestivas nem de grandes ventanias soltas, pois eu também sou o escuro da noite.”


“ Que ninguém se engane, só se consegue a simplicidade através de muito trabalho. “


“ Já que se há de escrever, que pelo menos não se esmaguem com palavras as entrelinhas. “


“ Não quero ter a terrível limitação de quem vive apenas do que é passível de fazer sentido. Eu não: quero uma verdade inventada. “


“ A poesia dos poetas que sofreram é doce e terna. E a dos outros, dos que de nada foram privados, é ardente, sofredora e rebelde. “


“ Minhas desequilibradas palavras são o luxo do meu silêncio.”


“ Pegue para você o que lhe pertence, e o que lhe pertence é tudo o que sua vida exige. Parece uma vida amoral. Mas o que é verdadeiramente imoral é ter desistido de si mesma."




"Inútil querer me classificar,eu simplesmente escapulo não deixando. Gênero não me pega mais."


“ Gosto dos venenos os mais lentos! 
As bebidas as mais fortes!
Dos cafes mais amargos!
E os delirios mais loucos.
Voce pode ate me empurrar
 de um penhasco que eu vou dizer:
E daí
eu adoro voar!!!”

 “ Perder-se também é caminho.”


“ O que saberás de mim é a sombra da flecha que se fincou no alvo.”


“ A gente escreve como quem ama.”


“ Porque na pobreza de corpo e espírito eu toco na santidade, eu que quero sentir o sopro do meu além. Para ser mais do que eu, pois tão pouco sou.”


“ Quem sabe de que negras raízes se alimenta a liberdade de um homem!?”


“ Por que é que o cão é tão livre?


Porque ele é o mistério vivo que não se indaga. “


“ Oh Deus, que faço dessa felicidade ao meu redor que é eterna, eterna, eterna e que passará daqui a um instante.


Porque o corpo só nos ensina a ser mortal? ”


“ Acho que sábado é a rosa da semana.”


“ Na verdade, Angela..."O que me mata é o cotidiano. Eu queria só exceções.”


“ Vocação é diferente de talento. Pode-se ter vocação e não ter talento, isto é, pode-se ser chamado e não saber como ir.”


“Sempre conservei uma aspa à esquerda e à direita de mim.”






Frases de


Clarice Lispector (1920 - 1977), escritora brasileira  nascida na Ucrânia.



A HORA DA ESTRELA - CLARICE LISPECTOR



O PAPEL DO ESCRITOR NA SOCIEDADE

Em A Hora da Estrela, Clarice Lispector, usando uma linguagem singular, com a mais fina originalidade, onde pequenas frases, reservam-nos surpresas agradáveis e deleitosas, ou “sustos” muito bem vindos para o leitor, que espanta-se no bom sentido, com uma escrita tão “artesanal”, e tão rica de recursos linguísticos, entremeados de humor, ironia, acidez, poesia e dramaticidade.

A autora, neste romance, serve a leitores famintos, uma cesta generosa de tantas virtudes de linguagem e imagens, para nos saciarmos ao máximo.


Clarice apresenta-nos de forma, ora amorosa, terna e poética, ora de uma forma contundente, acida e visceral, mas, sobretudo comovente e com extrema humanidade, a personagem Macabéia. 


Ela se compadece da sua protagonista:
“ As vezes me da vontade, de te servir sopa quente, te colocar pra dormir, te dar um beijo na testa, e quando acordares, te mostrar o esplendor da vida”.

Assim, ela apresenta-nos o retrato de um grande numero de mulheres brasileiras, através da personagem alagoana , como Clarice enfatiza  “milhares são como ela” .


A escritora nos faz experimentar neste romance, em várias matizes, diversos painéis de sensibilidade, que emolduram de forma ímpar, Macabéia e seu entorno, “pintados” pela autora com extrema delicadeza e poesia, destacando, que é papel do escritor na sociedade, sensibilizar os seus leitores, quanto aquelas almas frágeis, carentes e desprezadas, restritas aos interstícios do ostracismo, da indiferença, do descaso, bem como da privação a dignidade humana, triste legado que as desigualdades sociais e a falta de oportunidades podem fatalmente vitimar.

Ademais, em A hora da estrela, notamos o quanto a ficção literária pode de fato, ser definida como a transfiguração da realidade, ou até mesmo, uma cópia dela.


Afinal, que mulher, ou homem, quem de nós já não se sentiu como Macabéia? Na sua solidão, na sua melancolia, na sua tristeza? Na sua pequenez?


Quem de nós em algum momento de nossas vidas, já não dividiu com ela, seu olhar singelo, desprovido de ambições e de fulgores, sobre a vida e as pretensões, bastando a si próprio?

Quem de nós, como Macabéia, a rosa "esquálida" cor de canela, não se limitou a buscar refugio, em nossos próprios jardins, “entre plantas e galinhas”, ou não buscou guarida tão somente, em nossos frágeis castelos de  areia?


A genial Clarice Lispector, mostrou-nos com um texto sublime, que o seu papel é sim, relevante na sociedade, direcionando os nossos olhares a enxergar que mesmo nos grotões mais escuros, lúgubres, e abandonados da alma humana, há vida pulsante, há luz, e por essas paragens íngrimes d'alma, também  jorra generoso, o chafariz da poesia.


Portanto, este romance, breve, porém denso, tem um quê de conto, mas o impacto na alma do leitor  só proporcionado pelas grandes epopéias.


   DAVI CARTES ALVES








Outras frases de Clarice Lispector

"Exagerada toda a vida: 
minhas paixões são ardentes;
 minhas dores de cotovelo,
 de querer morrer; louca do tipo desvairada; 
briguenta de tô de mal pra sempre;
 durmo treze horas seguidas; 
meus amigos são semi-irmãos; 
meus amores são sempre eternos 
e meus dramas,
 mexicanos."





Tranquilidade e inconstância, 
pedra e coração.
Sou abraços, sorrisos, 
ânimo, bom humor, 
sarcasmo, preguiça e sono.
 Música alta e silêncio. 
serei o que você quiser, mas só quando eu quiser.
 Não me limito, não sou cruel comigo! 
Serei sempre apego pelo que vale a pena
 e desapego pelo que não quer valer…
 Suponho que me entender 
não é uma questão de inteligência 
e sim de sentir,
 de entrar em contato… 
Ou toca, ou não toca.”




" Me dê sua mão
porque preciso apertá-la
para que nada
doa tanto "






"Até no capim vagabundo
há o desejo de Sol"



“ Sim, minha força esta na solidão.
 não tenho medo nem das chuvas tempestuosas, 
nem das grandes ventanias soltas, 
pois eu também sou o escuro da noite”







 " Lírios brancos
encostados a nudez do peito
      lírios que eu ofereço
     ao que esta doendo em você " 


                                                  Clarice Lispector









The Complete Stories by Clarice Lispector




  Edited by Benjamin Moser




 Translated by Katrina Dodson


                 










"A loucura 
é vizinha da mais cruel sensatez
  engulo a loucura
porque ela me alucina
 calmamente."



Clarice Lispector













Frases dos contos de Clarice Lispector no livro: A Imitação da Rosa


“ olhar aberto e bem límpido, como o olhar da candidez observando o crime”




“ e como uma borboleta, Ana prendeu o instante entre os dedos, antes

que ele nunca mais fosse seu ”



“ cheia da sua fé, suave, crepitante e grata”



“ como duas pestanas que pareciam baratas doces”



“ a mocinha estava se equilibrando na delicadeza de sua idade”



“ o ovo é isento da compreensão que fere”



“ amor é quando é concedido participar um pouco mais”



“ iluminado-a de minha palidez”



“ era uma galinha ainda viva, porque não passara das sete da manhã”



“ eu tinha 9 anos de idade, como o talo não quebrado de uma begônia”



“ os jacintos cintilaram , chamando-a”



“somos nós o sal da vida”



“ fazia parte das raízes negras e suaves do mundo”



“ o jardim era tão bonito que ela teve medo do inferno”



“ velas acesas entre o jardim, frutos se douraram por um instante

entre as folhas, sapos pulavam com os pés dourados”





Entrevista com Clarice Lispector

https://youtu.be/ohHP1l2EVnU