terça-feira, 31 de agosto de 2010

Grande Sertão Veredas - Frases








“ graça de carinha, e riso e boca
os compridos cabelos, num esquadro de janela”





“ tudo o que era corpo era bom cansaço”




“ aquela visão de pássaros, aquele assunto de Deus”




“ a flor do amor tem muitos nomes”




“ aquilo é poço que promete peixe”




“ como em fala de livros o senhor sabe ,
bel ver, bel fazer, bel amar
o que uma mocinha assim governa,
sem precisão de armas e galope, (...)




"a espécie do que senti, o sol entrado”

 

“ saí de lá aos grandes cantos, tempo de verde no coração”

 

“ numa alegria feito nuvem de abelhas em flor de araça”




“ o sol em pulo de avanço”




“ na cama daqueles desertos sem pássaros”




“ amigo é o braço e o aço,
eu gostava dele na alma dos olhos”






“ sertão é dentro da gente”


           
             







Mais algumas frases pinçadas na leitura de Grande Sertão Veredas
 
 
João Guimarães Rosa    - Ser tão Genial



segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Aprender com os passarinhos



Notem o joão-de-barro
não falta hoje
esta docilidade
esta suave proximidade

sem esbravejar, sem rompantes
sem barulhos que machucam
Juanito
não falta hoje
este mel de bem querer
este caminhar lado a lado
esta ingenuidade de criança?


by   DAVI CARTES ALVES



domingo, 29 de agosto de 2010

Crianças

        
           
  Problema de criança
                            parece pequeno
                           
  mas elas também são pequenas



Há momentos em que



" A Palavra vale uma moeda
                           o Silêncio vale duas "






TEU AMOR



O que continuará a existir sem você?
Pois quando o amor, generoso
derrama-se dos seus lábios sobre nós,
ele produz n’alma, o sublime frescor
de um novo
e orvalhado amanhecer


by  DAVI CARTES ALVES

" Escrever é cortar palavras " Drummond




Essa busca
 constante pelo texto "perfeito"
é um saboroso recheio
no pão da vida

by  DAVI CARTES ALVES

sábado, 28 de agosto de 2010

Colpo di Amore



As manhãs
são gélidas & doridas
sem o sol do teu amor

teu beijo
tem o mel da imortalidade
faz a alma sublevar
entre sensações
da tenra idade

se não consegui sequer
lhe ter mais pertinho
em sonhos nos amávamos
na lua apaixonada,
sob olhar sorridente
do cupido anjinho

na maviosa afetuosidade
dos teus braços enternecidos
melífluos rios de seda
cisnes tépidos e alados

Eis a brisa que sulca
o pelo felino
sob música de violino
riso menino

contemplá-la é viver,
é o quanto basta
para edenizar
uma vida

Tu és
flor que encanta,
que magnetiza, que fascina
em talhe formoso, leve, delicado
embebido em pétalas de jasmim
sinuoso invólucro de seda,
rosa sedutora
em haste de cetim

Será que há mais
delicadeza & sensualidade
nas curvas da tulipa escarlate
quanto na leveza sinuosa
de seu lindo talhe
coleante de prazeres???

em você,
assim como nas mais
raras e belas flores,
só devem pousar borboletas,
com coloridas asas de seda,
e delicadas anteninhas de ouro.

Ver você é uma alegria
nos campos d’alma
entre revoadas de pássaros,
folhas farfalham sorridentes
retornam os colibris,
joaninhas multicoloridas
pontuam os is

Ver você é uma alegria
a prosa monótona ,
torna-se palpitante, agradável,
arrebatadora poesia



by   DAVI CARTES ALVES







Mar de esmeralda



A beleza dos teus olhos
                                mar de Abrolhos

AFORISMOS





Aforismos

" Um mínimo de som
para um máximo de sentido"

Mark Twain



" Peixes e visitas
cheiram mal
depois de três dias "

Benjamin Franklin



A hipocrisia
é a homenagem
que o vicío presta a virtude

La Rochefoucauld


 

" Se você acha caro a educação
 o que dizer da ignorãncia?
 É uma fortuna!!! "

pensadora americana

Raridade


Em você,
assim como nas mais raras e belas flores,
só devem pousar borboletas
com coloridas asas de seda
e delicadas anteninhas de ouro


                                   
         
                                   F



       Saudade





  DAVI CARTES ALVES







sexta-feira, 27 de agosto de 2010

FELICIDADE É ...





Cheirar café torrado
domingo ensolarado
ser seu eterno namorado

de porções de amor
encher a pança
pela musa enjeitada
ser tirado para uma dança

Felicidade é:

Ouvir o dia inteiro
gargalhada de criança.



by   DAVI CARTES ALVES

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

A dor voltou



E trouxe junto,
 marretas, serrotes,
bate estaca, pregos, picaretas
bigorna, laminas

e enroscado no vão do pé de cabra
o fio com cerol que impiedosamente
cortou as asas do amor
em uma bela tarde de agosto

A saudade
ora é doce melancolia
ora,
mar de agonia



by  DAVI CARTES ALVES

terça-feira, 24 de agosto de 2010

pássaros





Ele não reagiu aos evangélicos entregando-lhe o panfleto, nem os olhou, todos os dias a mesma cena, encostado na amurada, depois sentava-se no banco, imóvel, os olhos fixos no córrego sujo, as crianças chegavam no mesmo horário, trazendo bola e a algazarra, provocando-o, brincando de dar susto, Ehhh! Ehh ! Hei! E ele tão frio e indiferente como uma rocha sob o musgo, o sabiá mais pertinho, o joão de barro já rente a seus pés, outros pássaros mais ousados, e ele sempre de costas para a vida que jorrava na rua, indiferente ao murmúrio do comércio, a balbúrdia dos feirantes, e toda polifonia do cotidiano, quando a tantas do folguedo dos pequenos, a bola bate em suas costas, outro silêncio e os moleques petrificados, mas ele sequer virou-se, os meninos apenas paravam o jogo, diante de seu andar desacertado, seu tossir esganiçado, seu arfar descompassado, por nascer meio corcunda, e o golpe de misericórdia, apaixonar-se tão febrilmente pela moça tímida da floricultura mais sortida...



by  DAVI CARTES ALVES

Flor dos pampas


Linda gauchinha
de onde brotam miríades de encantos
dizem que surgis-te
de doce alquimia:

das princesas Vikings
da Península Escandinávia
com as dançarinas flamencas
dos confins Andaluzia?
Ba!
Confeccionaram uma magia...

linda gauchinha
quanta inveja,
deste sorrateiro minuano
ele não resiste a seu apelo
quer brincar com seu cabelo
presunçoso, só pra si tê-lo

e a envolve no frescor
dos “seus braços”
com carinhos, com cuidados
com desvê-lo

minha linda gauchinha
pulverizastes meu coração
e tomastes em cuia amêndoa
com mais um cálido chimarrão

és tão bela gauchinha
amazona, camponesa, top model,
ou a pedestre apressada
da Porto Alegre ensolarada

e como esquecer aquela guria,
sem maquiagem,
tri-bela e introspectiva,
deslumbrante torcedora colorada
naquela quitanda em Alvorada

minha linda gauchinha
o que mais hei de dizer-te,
que já não lhe disse Garibaldi
de paixão por ti, insano
de joelhos com essa flor dos pampas,
resta dizer-lhe:


Te amo!


by   DAVI CARTES ALVES

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

A palavra

 
Ora tem o calor afetuoso das brisas
   ora tem o frio incisivo das lâminas


 

 
  

ZERÉ E O ARCOBALENO



Zeré e seus amigos caminhavam a beira mar, os garotos ja estavam muito cansados, exaustos, ao longe avistaram um bando de cães, diferentes, canhestros, esverdeados, os cães começaram latir, mas latiam em slow motion, e dos seus latidos formou-se uma espécie de gaze, um véu lilás que cobriu todo o mar, que agora exalava uma fina e perfumada fumaça salmão, sublevando e balbuciando uma canção de ninar, seria o icenso das sereias, emergindo do imenso e colorido véu sonoro?

 Os peixes quando pulavam com aqueles repentinos saltos coleantes fora d'água, transmutavam-se prontamente em gaivotas de neon, e ascendiam em meio a grandes arraias e bailarinas evanescentes, dos bicos das gaivotas, derramava-se barquinhos de papel kraft, caindo suavemente no mar lilás e levando nenês de colo , e as crianças davam um sorrisinho pueril, daqueles com apenas dois dentinhos na gengivinha. E davam tchauzinhos. Lindo demais!!!

 Quando tudo se fechou e sumiu no piscar dos grandes olhos verde esmeralda, velados por longos cílios de uma bela fada-sereia, olhos que caíram na areia entre os garotos como duas lindas bolinhas de gude no intervalo barulhento do recreio, e uma buzina fez os garotos olharem  de subito para a rua, como uma alcatéia dormindo que ouve um tiro no cio da noite e levantam as cabeças em uníssono, todas ao mesmo tempo, e na rua a buzina era do ônibus Sacre-Couer, levando lindas garotas que mascavam chicle de bola , metade uva, metade laranja, lembra?

E de repente bate o sinal de retorno a sala, mas tão forte e tão estridente, que os meninos tapam os ouvidos e fecham os olhos com muita força, dói, e quando abrem , sentem um frio enorme na barriga, sim, pois estão escorregando veloz e efusivamente nos tobogans do arco-íris, Zeré e seus amigos , no belo arcobaleno.

Zeré tinha um sonho, aprender falar em italiano.


by  DAVI CARTES ALVES

domingo, 22 de agosto de 2010

Ventos Doridos



Exorciza d’alma
esses ventos doridos
deixe o céu dos meus olhos
pois pro amor
teu colírio
é um suave pássaro
 em chamas
é um sopro ríspido na retina
de areia marinada



by  DAVI CARTES ALVES

sábado, 21 de agosto de 2010

Flor de angustia




Um suspiro afetado,
brisa beija a samambaia
ela olha o relógio novamente, tensa
pela janela, vê o cachorro barulhento
correr atrás da bicicleta naquele trecho de sempre
a anestesia não pegou de novo, droga!
A tiara na boca, corrige os cabelos,
tenta outra vez, antes, mais uma tragada no cigarro
mas não tem jeito, o caule esta muito fino, desiste!
E triste e resignada,
arranca mesmo assim, a pétala da flor ...




 DAVI CARTES ALVES



sexta-feira, 20 de agosto de 2010

AURORA BOREAL



Teu sorriso realinha os astros
do meu céu tão down
para um plano divinal
e envolver - me
no mar dos teus abraços
eis aurora boreal


by  DAVI CARTES ALVES

Parola de Padiola


Que silêncio sepulcral é este?
Mas as vuvunzelas do amor
nunca se calam
pois o resto
é parola de padiola


by  DAVI CARTES ALVES

Dead Man Walking

terça-feira, 17 de agosto de 2010

SORRISO DE NUVEM FLOFLY



Tens uma presença tão sublime
como se a cada piscar de olhos
a cada beijo desses seus lindos cílios
renova-se em sua alma
doce frescor de amanhecer
generosa alvorada
de ternuras

Como um sedento colibri
embevecido por essas paragens
maviosas e exuberantes
quis sorver

os aljôfares de mel, orvalhados
em toda a sua haste,
em seus cálices & corolas
generosas,  ardorosas
suas pétalas
incandescentes

Olha o nosso sol de neon
coração do azul celeste
que assim como você,
quando surge, acende n’alma
um sorriso de vida e luz

enlear-se na ternura
das tuas mil vozes macias
o verbo amar sussurras
dos teus poros, balbucias

nos teus braços
renascer em uma fonte
de generosa doçura
cárcere paradisíaco
quais flamingos alados
em ternura

Só pra você,
meu sorriso de nuvem flofly
um presente
dos deuses do amor

a lua me sugeriu
um vestido de néon
o céu, uma tiara de estrelas
o mar, um multicolorido top
feito de conchas e corais
tudo belamente embrulhado
pela aurora boreal
num afável  :)
volte sempre!!!

Ah! Minha canção do mar
Não será pelo teu sopro
que abrem-se as acácias,
e sorriem as buganvílias?


by  DAVI CARTES ALVES







segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Ternura de Criança



Tu me fez ver na queda
suave passo de dança
fez da tola ambição
e da nociva prepotência
ternura pura de criança.


by  DAVI CARTES ALVES

sábado, 14 de agosto de 2010

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

VERTIGEM DE AMOR



Teus olhos amêndoados
os cílios amarrotados
teus lábios amordaçados
os fios desencapados
teus braços tão cisnes de amor
coleantes & enamorados
nos poros mel e torpor
a desmanchar-me
a esfarelar-me
a despejar-me
em meio a um ballet nupcial
entre arraias, cata - ventos
e muito brilho labial...


by DAVI CARTES ALVES

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

MUITA POESIA EM SUA VIDA



 Que a poesia te envolva
suave & generosa
   entre os casulos da brisa primaveril
enquanto multicoloridas joaninhas 
     pontuem os is


by    DAVI CARTES ALVES

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Nas Nuvens

   " É melhor cair das nuvens
         do que do terceiro andar "

                          Machado de Assis

domingo, 8 de agosto de 2010

Asas de areia





Só você tem esse dom
de dizer em terra,
doçuras e delícias de um céu
que se usufrui deslumbrado
na maciez de uns olhos fagueiros

nesta doce intimidade solar
trazendo nas suas asas de amor
a suave calmaria do mar

e a lembrança dos teus doces abraços
leveza que me envolve em asas mansas
de pássaros apaixonados
declamando ao lusco-fusco
amores e dissabores

contemplados da triste janela
derramam num vôo brando
slides dos teus sorrisos
quais brisas de mil paraísos

colhidos num carinho ausente
e a sensação tépida e premente
que a picada da mutuca úmida
dói mais a dorida dor
sem os desvelos do teu amor

seus lábios tão lírios
quão líricos
teus braços tão cisnes de amor
tua alma quão lua,
tão sua
você meu mar jovem em flor

hoje minhas borboletas tagarelas
sonharam novamente contigo
e acordaram cochichando em rubor
que só mesmo dos teus beijos maviosos
flui o mel do paraíso.





  DAVI CARTES ALVES














quarta-feira, 4 de agosto de 2010

LANÇAMENTO - AMANHÃ. COM SORVETE! - Assionara Souza



Prestigiando o lançamento nas Livrarias Curitiba do  Shopping Estação, do segundo livro da escritora Assionara Souza, nossa professora da Oficina de Contos, da Fundação Cultural de Curitiba. Na foto com Assionara e outros dois alunos da oficina, Arthur e Iamni.






Livrarias Curitiba: Shopping Estação

Amanhã. Com sorvete!
Contos
Assionara Souza



SINOPSE DO LIVRO


Nas narrativas que compõem “Amanhã. Com sorvete!”, Assionara nos conduz numa viagem sinestésica em que a literatura é a chave para a ampliação de sentidos. Atravessando o nonsense, percorrendo diversas associações, a sua narrativa une música, cinema, dança pintura, numa experiência doce, fresca, prazerosa. Na mistura de sabores deste sorvete, podemos sentir o eco de Clarice Lispector, o cheiro de Caio Fernando Abreu, o toque sutil de Guimarães Rosa, o olhar de Chico Buarque, o suave sabor de Drummond. Desorganizando e incendiando ideias, a escrita de Assionara pinta o infinito imediato no espaço entre as palavras.



.