domingo, 6 de janeiro de 2013

Teu amor tem um quê de mar





http://2.bp.blogspot.com/_op7bnbVEE5c/TQlW0F1QdWI/AAAAAAAABAk/smAz7sbTMeg/s320/farol+3.jpg




Esvai-se o véu sonoro
cantando em chamas
ao silêncio lúgubre do farol
mantras em mantas de hissopo
purificando doridas claves d’alma
restos de alvorada
para uma legião de tensas procelas
dissolvem-se as borrascas
ante a força de um pensamento
mas elas retornam em laminas
e cimitarras famintas
há volatilidade nos mares de dentro
quando os sonhos porejam o amor
quando n’alma
rochedos suplicam tuas cores,
suaves marés
sem volta
versos soprando quimeras
em conchas pulsantes, escarlates
colchéias em litorais abandonados
tua voz , doce realejo à maresia
sumindo em asas de areia
a imagem do teu sorriso
brinca no balanço das vagas
impresso na vastidão do mar,
irrequieto mar
intenso mar
triste mar,

de dentro.




DAVI CARTES ALVES

 

 

 

 

 

2 comentários:

Anônimo disse...

Остренькое! [url=http://aftertube.net.ua/tags/%E1%EB%FF%E4%F1%EA%E0%FF/]блядская[/url] Порно онлайн : [url=http://aftertube.net.ua/tags/%F3%EC%ED%FB%E9/]умный[/url]
не для детей

Elisa T. Campos disse...

Davi

Magníficos versos.
Encheu minha manhã de um estrondoso encanto.

Bom dia.
Um abraço.