sábado, 17 de outubro de 2009

UM CEMITÉRIO DE ROSAS NEGRAS




Naquele vale em coleante declive
crescem belas e lúgubres rosas negras
onde há em suas pétalas
manchas de lágrimas ressecadas

Dizem ter exisitdo ali
um antigo cemitério
como uma velha senhora agonizante
cujos filhos foram sepultados,
junto com suas mães resignadas,

e suas esperanças mutiladas
pelo anjo negro da intolerância
com sua balança “eqüitativa”
com pesos enchidos de covardia,
e duma prepotência totalitária

podaram-se os rebentos matriarcais
não vi correr por esses gélidos campos
a pequena Godveliskaia e seu sorriso efusivo
fácil e cativante, tão generoso em sua mãe

não vi caçar por esses vales
o pequeno Adriansakov
e a mesma intensidade e disciplina
de seu pai em sua coragem
qual destemido visionário Cosaco
por uma Russia soberana

Jamais verei as crianças
de Teofilia Serova, Angelina Vitalitherbo,
Ilena Tsvenikovia,
Vera Petrova, Selena Padkopaieva,
mamães levadas em trens transbordantes,
e suas mãos ejetadas em desespero
através de acenos suplicantes,

jamais verei os novos irmãos de Karamazov
as lindas bisnetas de Anna Karenina e Vronski
o filho bastardo de Raskolnikov e Sonia
todos ceifados pelo lépido e voraz
anjo negro da intolerância

e sua balança “eqüitativa” ,
com pesos enchidos de covardia,
e duma prepotência totalitária
a voar num céu de mares de chumbo
onde gritos de inocentes reboam,
num silêncio insuportável
nos confins de uma Sibéria ,
e sua convalescença incurável

Naquele vale em suave declive,
havia um antigo cemitério
ao ver a noite densa sobrepujar
uma tarde fria e cansada
eis uma anciã de fronte vincada
sombria , encapuzada,
por fina garoa engolfada
a segurar numa reza balbuciante,

uma esquálida rosa negra
por suas lágrimas acariciada,
e numa lápide ilegível e disforme
tem suas pétalas derramadas.











2 comentários:

caminha, caminhando, poetando... disse...

Bela síntese poética. Uma justa homenagem aos grandes Dostoiévski, Tolstói entre outros que a literatura russa nos presenteou.

Que Nietsche o diga.

Que Deus o abençoe,

Caminha

Alessandra Dietrich Viotti disse...

Olá Davi!

Obrigada pelos comentários no meu blog e site do Stammtisch... Vou olhar seu blog com cuidado também...

Parabéns pelas poesias.. são lindas...

Alessandra