domingo, 10 de janeiro de 2016

O silêncio das flores







                                                  Gérbera

 



Ele aprendeu observando
que o silencio das flores
é disfarce para a sedução

São elas que sussurram
quando os cílios se tocam
no beijo mais doce
no suspiro mais longo


são elas que testemunham
que o amor sobrepuja a tudo e a todos
porque talvez  o amor seja feito mesmo
dessa luz que flui dos teus olhos
e brilha soberana
sobre todas as formas
 de escuridão

Ainda que nuvens escuras
corroam a solidão
com as pontas cegas de uma crase
eis que surge novamente
tua doçura simples
de silêncios perfumados


um cacho de mil ternuras
numa flor de suavidades
sobre um monjolo

de saudades





DAVI CARTES ALVES







Saudade da minha gérbera quão linda








Nenhum comentário: