quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Mar dourado



Os passos coreografando
sensações & vertigens
como se alguém do lado de fora
do sonho
de sorriso maroto
de repente
acelerasse o carrocel

mas ela continuava
carregando as dores do mundo
numa padiola
suave & carmim

que possui nas rodas
o barulhos das brisas
quando sopravam entre
as vastas
plantações de girassois

E aquela melodia ao fundo?

Então
ela ia despertando
soltando-se, colorindo-se
na dança de um ballet
luminoso
naquele lindo mar de vagas
douradas

sublevando
naquela melodia,
desiderata


DAVI CARTES ALVES

2 comentários:

Anônimo disse...

INSERT

Rafaella disse...

Poesia muito linda como sempre.
Palavras muito bem selecionadas