sábado, 6 de novembro de 2010

AQUARELA




Minhas noites imprimiam
nos céus daqueles olhos
tão límpidos
demãos e demãos de estrelas
 e versos de amor

desnudando cometas
aplacando tufões
em cios de cólera
e pétalas pulsantes

enlevando-se com a verdade
nos olhos dos teus pássaros
quando as suas asas
 flanam borrascas
quando seus vôos
debatem-se em procelas

um punhado de palavras
por um caleidoscópio
de sensações

queria
“ser o vermelho na pintura dela”
ser tantas cores pra sua alma
ser amor em outras matizes
ser aquarela



by  DAVI CARTES ALVES








Um comentário:

Rafaella M. disse...

Amei seu blog, tanto pelas poesias e textos como por ser inspirado na minha flor preferida.
parabéns.

Espero sua visita no meu blog,e segue tbm .
http://rafaellamel.blogspot.com/