sábado, 20 de novembro de 2010

Lumes & Brisas





O primeiro pingo
da garoa nua
fez minh’alma
ser tão sua

banhar-se na maviosidade
dos teus rios de dor
sem imagens
incendiando as paisagens
evanescentes do amor

beijo de brisa que sulca
o pelo felino
riso menino
sob o som de violino

derramas por taça de volúpias
seara de nirvanas
és linda borboleta sedutora
que pousa embevecida
em mar de chamas

vestir-me de você nesta hora
hora escarlate
que transpassa
de amar e sonhar
no bojo tépido e macio
de uma bela acácia

tua alma traz a musica do mar,
marulhar no teu doce realejo
no frescor dos teu abraços,
balbucio, deliro,
versejo

nos teus braços
renascer em uma fonte
de generosa doçura
cárcere paradisíaco
quais flamingos alados
em ternura

em meio aos teus lábios & versos
me sinto flutuar em espiral
na cadência de milhares de arraias
dentro de um balé vertiginoso,
divinal

em você
como nas mais raras e belas flores
só devem pousar borboletas
com multicoloridas asas de seda
e delicadas anteninhas de ouro


 
by  DAVI CARTES ALVES









2 comentários:

ASAS AO TEMPO disse...

Olá, passando por aqui para desejar uma linda semana e dizer que esse seu poema está muito lindo... aliás tudo que escreve eu gosto.
E ler algo tão bonito ao som de uma chuvainha lá fora é tudi bom.... abraços menino!!!

José Anchieta disse...

Davi, postei este poema (sem a sua prévia autorização)no Linkando Poesias, se vc discorda basta solicitar que eu retiro do blog. Eu idealizei o Linkando Poesias. A blogosfera está precisando de sites?blogs assim, que reúnam uma grande quantidade de textos (prosa e poesia) de diversos autores, uma miscelânea de estilos líterarios. Um abraço